27 de abril de 2018

ᴛᴏɢᴇᴛʜᴇʀ ⋆˚࿐ depois de partir

Olá meus amores!
Peço imensa desculpa por andar a fugir mas este post também vai explicar bastante.

Finalmente recuperei e estou pronta para mandar um post antes de Abril terminar. Já Maio se aproxima assim como a Queima das Fitas e os meus exames de 2º semestre (preparada, eu? nunca). Mas foi uma complicação escrever este post porque acabava sempre por eliminar e voltar a escrever, de novo eliminava e o ciclo era continuo. Até pensei mesmo que não ia chegar a conseguir mas vá lá arranjei o tempo para mim e decidi fazer tudo direito! Hoje vai ser mais um do Together e admito que este foi uma complicação para mim, apesar de ser a coisa mais rafada e simples de sempre (comparado com outras participações incríveis, deem uma vista de olhos!). Então este mês foi o seguinte:

"Abaixo há uma lista com 20 conjuntos de palavras. A proposta é escolher um conjunto e escrever uma história - pode ser um conto, uma cronica, uma ceninha, um poema, desde que seja one-shot (capítulo único, com começo, meio e fim), pra ninguém morrer de curiosidade nesse projeto. Escolhendo seu conjunto, as 3 palavras devem aparecer no seu texto exatamente como estão escritas, sem mudanças de singular/plural. Elas podem aparecer mais de uma vez, e só precisam ser destacadas no texto na primeira aparição. Fora essas orientações, o resto é livre - não tem limite de caracteres, de género textual, de nada. Obviamente, não vou divulgar na lista final quaisquer textos que façam apologia s preconceitos, violências e afins (entendam: apologia é diferente de falar sobre: é exaltar, elogiar e incentivar essas coisas)" 

O conjunto de palavras que escolhi foi relógio / arranjo / luto. Eu na altura escolhi esse tema porque foi na semana em que o meu avô faleceu (daí também a minha falta de interesse em aparecer aqui). Infelizmente ele foi o único avô que eu tive (nunca conheci o meu materno porque faleceu quando a minha mãe era muito nova), por isso tinha um laço muito forte com ele. Ele era um homem que defendia muito os seus ideais e amava-nos todos com muito carinho; à primeira quem o visse poderia pensar que ele era carrancudo e muito sério, mas na realidade ele era muito carinhoso e sempre queria ver-me e os outros netos sempre felizes! Mimava-me sempre e passava-me aquela nota de 20€ antes de eu ir para o Algarve com aquele seu sorriso "Toma lá para comprares muito gelados lá na praia!" Tenho imensas saudades dele; infelizmente sofreu muito estes últimos anos contra o cancro mas sei que ele agora está descansado. 

No entanto só escrevi este "poema" esta semana. Sim, isso poema. Porque não tive tempo para escrever uma crónica ou um conto (porque é que sou assim??). Se tenho jeito para poemas? Eh. Tinha. Agora nem tanto; bem tentei eu rimar, mas isto nem pés nem cabeça tem, porque a palavra arranjo deu-me complicações. Não sou o Fernando Pessoa, mas dei o meu melhor às 2 da manhã depois de um dia cheio de aulas. Claro que escrevi a pensar no meu avô. O poema não tem nada de explícito, porque não queria aprofundar muito a coisa; mas fica o aviso que fala então sobre a morte e, obviamente o luto.

"Depois de partir"

Sou algo que todos os vivos evitam,
Pois sempre olho para o relógio do tempo
Mas quando este toca, bem eles sabem
Que não há nenhum refúgio.

Mesmo com todo o meu arranjo,
Ninguém me oferece um sorriso
Se calhar se fosse um anjo
A dor não seria tão impensável.

Para muitos sou o silêncio eterno,
Uma incomparável solidão imensa,
Mas sempre escuto as suas lágrimas,
Dão-me a mim esse estranho nome de luto.

Olhem, EU SEI, não sou poeta. Antes tinha uma grande paixão pela poesia quando era mais pequena. No 1º ciclo participei num concurso na escola com um poema e de alguma maneira ganhei o 1º lugar. Infelizmente perdi o jeito e agora é isto. Mas não queria deixar a oportunidade de dedicar uma mensagenzita ao meu avôzinho que o amo muito! E sei que ele sabe! E fica assim. Vou tentar escrever mais coisas para o mês que vem, beijos!

4 comentários:

  1. "não sou poeta", diz mel logo depois de tocar nossos corações com um poema super profundo e reflexivo. amei, sim ou claro? ♡

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Joana! Oh meu deus, obrigada! Fico mesmo contente por saber que gostaram; já não escrevo poemas há anos por isso estava com medo que ficasse algo exagerado ou sem sentimento.

      Obrigada linda uwu ♡♡

      Eliminar
  2. Esse texto me pareceu que você pode começar a se chamar de poetal *palmas*

    yeah-dreamhigh.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah Celli, obrigada!! Não estava nada confiante quando decidi publicar, estou super feliz por teres gostado! Agora já me sinto muito melhor!

      Love you ♡

      Eliminar

♥ Vais comentar? Obrigada!
Quantos mais comentários o blog tiver, mais interessante e único ele fica; por isso agradeço imenso: Expressem a vossa opinião à vontade! Mas existem regras para cumprir.


→ Nada de comentários impróprios e desrespeitosos;
→ Também não é permitido comentários de spam;
→ Não enviar comentários a falar mal de alguém;
→ Comentários grandes ou pequenos, são sempre bem-vindos!

☾ Por favor respeitem as regras ou o comentário será eleminado ☽

Eu costumo responder a todos os comentários, por isso de vez em quando devem voltar para ver a resposta. Obrigada! ♥